“Éfe do falar e da força de ser F de Fluminense” (por Antonio Gonzalez – abril/2001)

Felicidade…

É a fagulha que acende o fogo fértil que se traduz em filho da fidelidade momentânea que produz o fruto que resulta do flertar inicial…

É como a fruta que embeleza a fazenda fluindo no verdadeiro sabor da festa da fé…

É Francisco que é santo e rio no ferro da sustentação

e…

Sem a fatalidade dos fracassos que existiram para sempre em feridas que continuam buscando cicatrizes nas fotografias de fases que não podem ser futuro…

e…

Sem ser falso, ocultando a ficção no poder da fala que te transforma em fera…

Igreja de Santo Antonio – São Luiz do Maranhão

Fiel…

Masculino e feminino…

Frasco feroz…

Por vezes, férias…

Faz frio na Finlândia, na França talvez…

Filipinas quem sabe, Fortaleza com certeza…

Fácil, totalmente full, fugaz talvez.

Foi fantasia  com franqueza… foi no Flu que nos conhecemos.

e…

Fluindo a mente e feliz a face na frase fundamental:

NUNCA ESQUEÇA  DE SORRIR!

Francamente bom te conhecer, felizmente teu nome é Fabiola… felina figura, melhor gravura, de São Luiz do Maranhão.

Lençóis maranhenses

Mas o tempo anda para a frente e necessita o fundo da verdade.

F de um FODA-SE dito com freqüência cardíaca explosiva…

Éfe do falar e da força de ser F de Fluminense”

X – X – X – X

Não escrevi para falar do Fluminense… na verdade foi o texto que escrevi para uma mulher de nome Fabíola… Pena que naquele momento faltou tempo.  Sim pode ser que os brutos também amem.

No meu caso foi além do desejo mas o sexo de tão forte assustou a paixão.  Posso dizer que foram palavras que queriam ser de amor.

Jornal dos Sports no início de 1981 quando assumiu uma nova diretoria no Fluminense. Desde então o problema do Fluminense era o modelo de gestão, mas ao contrário… uma quantidade enorme de dirigentes com papos de boleiro e totalmente fanfarrões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *