Renunciar pode ser ato de enorme nobreza (por Gravatinha)

Consta do dicionário Houaiss da língua portuguesa , na segunda das suas acepções sobre a palavra renunciar, que o vocábulo significa (ipsis litteris): ” desistir da posse de; abdicar (renunciou o trono por amor) (é difícil renunciar o trono por amor)”.


Como se vê, renunciar não tem necessariamente um significado negativo. Pode ser ato de grande nobreza. Nos regimes europeus, é certo que parlamentaristas em sua grande maioria, a renúncia do primeiro ministro é fato rotineiro. Algumas vezes por motivos graves e nobres. Foi assim na Segunda Grande Guerra quando o primeiro-ministro britânico Naville Chamberlain renunciou em favor de Winston Churchill , em uma situação gravíssima para o Império Britânico. Pedro I também renunciou, abdicou no caso, para que o Império brasileiro pudesse seguir em frente.

Imagem relacionada

(Arthur Neville Chamberlain and Adolf Hitler in Munich, 1938)

Há também, casos negativos. O mais conhecido no Brasil foi o de Jânio Quadros que renunciou, em 1961, após uma retumbante vitória eleitoral na corrida presidencial. Mas, o lado negativo foi que a renúncia, e a história mostra isso, tinha o objetivo de fechar o Congresso, de dar um golpe para aumentar os poderes do Presidente.

Presidente Abad: a necessidade de mudança do principal mandatário do Fluminense pode ser explicada por diversas causas. Por uma herança maldita, por uma divisão antropofágica do clube, pela crise financeira, pelos resultados do futebol. Isso acontece em diversas circunstâncias e ocasiões. Por exemplo, Chamberlain tem o seu papel na história do Reino Unido. Pedro I também o tem na história do Brasil.
Mudar o Estatuto por um casuísmo, que pode ser resolvido de outra forma, é muito grave. É um sinal de falência da nossa instituição, o nosso Fluminense. A possibilidade de judicialização é muito grande. E, assim, não conseguirmos o intento de mudar a nossa principal liderança. Várias questões precisam ser equacionadas a partir da antecipação das eleições. Por exemplo, haverá um mandato-tampão? Como preservar o mandato do Conselheiro eleito no último pleito e o do sócio que entrou para votar nas eleições de 2019?

A renúncia, Presidente Abad, é o melhor para o Sr e para o Fluminense, apelamos todos os que estão comigo, aqui em cima. E são muitos. E a vida
é longa. O Sr, jovem que é, ainda poderá contribuir muito com o nosso
tricolor.


Gravatinha- 28/12/2018

Notas da redação:

Acordo de Munique foi um tratado datado de 29 de setembro de 1938, na cidade de Munique, na Alemanha, entre os líderes das maiores potências da Europa à época. O tratado foi a conclusão de uma conferência organizada por Adolf Hitler, o líder do governo nazista da Alemanha.

O objetivo da conferência era a discussão do futuro da Checoslováquiae terminou com a capitulação das nações democráticas perante a Alemanha Nazi de Adolf Hitler. Este episódio ilustra melhor do que outros o significado da “política de apaziguamento“.

Winston Churchill disse sobre Chamberlain quanto a este acordo: “Entre a desonra e a guerra, escolheste a desonra, e terás a guerra“.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *